:Polícia investiga ação de advogado de luxo em Nova América da Colina

Polícia investiga ação de advogado de luxo em Nova América da Colina - Cornelio Digital.com - O Portal da Família


Polícia investiga ação de advogado de luxo em Nova América da Colina

Um veículo de luxo Porsche Boxster foi apreendido no escritório de um advogado bem conhecido de políticos da região, com base no crime de lavagem de dinheiro.

O delegado do 1º Distrito da Polícia Civil de Londrina, Edgar Soriani, explicou o início das investigações. “Existe uma ação na comarca de Assaí para apurar a contratação do advogado pelo município de Nova América da Colina e pagaram a este advogado para que ele se manifestasse em licitações e contratos. O Ministério Público de lá achou que como existe um procurador no município, contratar esse advogado foi um desvio de finalidade e entraram com essa ação de improbidade administrativa”.

O advogado londrinense teria recebido uma quantia alta pelos serviços que em tese iria prestar na cidade. O delegado explicou que a apreensão do carro é uma garantia de pagamento ao crime de improbidade. No final da ação, o Porsche pode ir à leilão e o dinheiro arrecadado encaminhado à Nova América da Colina. “Houve um bloqueio de bens do escritório e do próprio bem do advogado”, disse.

Ainda de acordo com o delegado, o investigado tentou se desfazer do veículo antes de perder o bem na Justiça. “Ele falsificou ou alterou um documento, simulou uma transferência desse veículo para o seu sócio e nós conseguimos provar isso ao juiz, que entendeu que possa haver o crime de lavagem de dinheiro. Acreditamos que foi uma simulação de venda no valor de R$ 150 mil”, afirmou Soriani.

Nas investigações, o advogado investigado teria vendido o automóvel para o sócio em cinco parcelas. O valor chamou a atenção da polícia, já que na Tabela Fipe o valor é de R$ 240 mil e ele teria vendido por quase R$ 100 mil a menos. O sócio disse que revendeu o bem a um terceiro de Porecatu (PR), mas o Porsche ainda estava com o investigado.

“Ele disse que por estar bloqueado o veículo, ele teve que reaver. Então, o sócio dele e o terceiro tiveram que ser ressarcido, em tese, do valor pago. Só que ao meu entender não houve pagamento nenhum e sim simulações de venda, por isso que o veículo ficou apreendido para evitar supostas outras irregularidades desse bem, que é garantia de pagamento do processo de improbidade administrativa”, afirmou o delegado.

Com informações de Neto Almeida/ Via Paiquere.

Visualizações 162
Fonte: Paiquerê
Por: Redao
Data: 05/07/2018 14h01min


    

JG FreiosSampei Cozinha ChinesaNoemi LanchesProdutos AlcobaçaBrasilnet Hospital do Câncer de Londrina
CONTATO

contato@nossoclick.com
antonio.zaneti@gmail.com
(43)99920-1893
TV Na Rua / CornelioDigtal / BandDigital- 2007 - 2014